New shop kamagra australia online viagradirect.net with a lot of generic and brand medicament with mean price and fast delivery.

C:\documents and settings\fabi\

Saúde, Ética & Justiça, 5/7(1-2):32 -6, 2000-2002.
Uso de anfetamínicos por motoristas profissionais
brasileiros: aspectos gerais
Amphetamine use by truck drivers in Brazil: general aspects
Vilma LEYTON1,2, Débora Gonçalves de CARVALHO2, Maria das Graças Silva de JESUS2, Daniel Romero MUÑOZ3 LEYTON, V.; CARVALHO, D. G. DE; JESUS, M. G. S. DE; MUÑOZ, D.R. Uso de anfetamínicos por motoristas profissionaisbrasileiros: aspectos gerais. Saúde, Ética & Justiça, 5/7(1-2):32-6, 2000-2002.
Resumo: Vários estudos mostram a relação do uso de anfetamínicos e a ocorrência de acidentes de transito. Os motoristas
profissionais de transporte rodoviário de cargas no Brasil fazem uso indiscriminado de medicamentos à base dessas
substâncias, conhecidos popularmente como “rebites”, objetivando aumentar o tempo de vigília para cumprir prazos e horários
estabelecidos pelas empresas contratantes. Este trabalho busca contribuir com informações a respeito dos anfetamínicos,
bem como as implicações do seu uso por condutores de veículos, sobretudo os caminhoneiros.
Unitermos: Anfetaminas/toxicidade. Anfetaminas/efeitos adversos. Condução de veículo/estatística & dados numéricos.
Introdução
O uso de substâncias psicoativas por motoristas vezes são associados à ingestão de outras profissionais brasileiros, principalmente os que substâncias psicoativas, afetando a saúde dos trabalham no transporte de carga é amplamente difundido no Brasil. Para diminuir o sono e o cansaço significativa, a habilidade do motorista de dirigir nas longas viagens, muitos motoristas têm usado, aumentando o risco da ocorrência de acidentes6,21.
indiscriminadamente, medicamentos estimulantes A relação entre o uso de substâncias psicoativas popularmente conhecidos como “rebites”, com o por motoristas e a ocorrência de acidentes de trân- propósito de aumentar o tempo de vigília. Os sito tem sido demonstrada em diversos países3,9,16.
fármacos mais utilizados são estimulantes sintéticos No Brasil, no entanto, os dados a respeito do uso como os anfetamínicos, usualmente encontrados em dessas substâncias pelos condutores são muito es- medicamentos anorexígenos utilizados nos regimes cassos. Um dos poucos estudos foi realizado por de emagrecimento. Esses medicamentos muitas Silva et al.22 com 728 motoristas e mostrou que 4,8% Profa. Dra. da Disciplina de Medicina Legal do Departamento de Medicina Legal, Ética Médica, Medicina Social e do Trabalho daFaculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Perito Criminal do Núcleo de Toxicologia Forense do Instituto Médico Legal de São Paulo, SP.
Prof. Livre-docente da Disciplina de Medicina Legal da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e de Medicina Legal eBioética da Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo, Laboratório de Investigação Médica - LIM-HCFMUSP.
Endereço para correspondência: Rua Teodoro Sampaio, 115 - CEP 05405-000 - São Paulo, SP. E-mail: vileyton@yahoo.com
LEYTON et al. Uso de anfetamínicos por motoristas profissionais brasileiros: aspectos gerais.
dos motoristas de caminhão haviam feito uso de adquiridos em postos de combustíveis ao longo das anfetamínicos associado ou não à cocaína e Este trabalho objetiva contribuir com informações a respeito dos anfetamínicos, bem como as Tabela 1 - Alguns anfetamínicos
implicações do seu uso por condutores de veículos, Nomes comerciais Princípio ativo
Anfetamínicos
1.1 Generalidades
substâncias composto pela anfetamina e seus derivados14. A anfetamina foi sintetizada em 1887 e introduzida no mercado por volta de 1930 no tratamento da congestão nasal. Durante a 2ª Guerra 1.2 Toxicidade e efeitos adversos
Mundial, os anfetamínicos foram largamente utilizados para manter os combatentes em alerta.
Os anfetamínicos são capazes de aumentar a Rapidamente, se tornaram populares em diversos atividade motora, melhorar o humor, inibir o sono e segmentos da sociedade, tanto no tratamento da diminuir as sensações de cansaço ou fome. A obesidade, da narcolepsia, do Transtorno do Déficit intensidade de seus efeitos depende da dose de Atenção/Hiperatividade (TDA/H) como agente de utilizada e da personalidade do indivíduo. Doses orais de 10 a 30 mg podem ocasionar euforia, bem- Os anfetamínicos são potentes estimulantes do estar, melhora da auto-estima e do estado de vigília, sistema nervoso central (SNC), apresentando aumentando a capacidade física e intelectual. O marcada influência sobre as atividades psíquicas e raciocínio do usuário parece ser mais rápido e os psicomotoras, alto potencial de abuso, propiciando reflexos motores mais aguçados. O início da ação é o desenvolvimento de farmacodependência e ocor- dependente da via de administração e os efeitos rência de efeitos colaterais que podem se manifes- tar por alterações cardiovasculares, neurológicas e Os anfetamínicos apresentam um alto potencial psiquiátricas, cumulativas com o uso contínuo17.
de abuso, propiciando o desenvolvimento de Os medicamentos a base de anfetamínicos mais farmacodependência. A tolerância (necessidade de utilizados são os denominados moderadores do maiores doses para se obter os mesmos efeitos) aos efeitos subjetivos e anorexígenos é instalada rapidamente; o usuário pode apresentar disforia, (dietilpropiona). Estima-se que 60% da produção mundial de fenproporex é utilizada no Brasil 13 muitas confusão mental, depressão, fadiga e mostrar-se vezes em formulações ditas “milagrosos agitado, desconfiado, ansioso, sendo que alguns tornam-se hostis e agressivos. Nos casos de principalmente fenproporex e anfepramona.
overdose, a toxicidade é uma extensão dos efeitos Apesar de sua comercialização estar sujeita às farmacológicos ocorrendo disritmias cardíacas, normatizações da Portaria 344 de 12/05/1998 da hipertensão, hipertermia, falência aguda renal, Vigilância Sanitária, vários medicamentos à base de anfetamínicos podem ser facilmente encontrados e A Tabela 2 apresenta a relação entre os sinais e Saúde, Ética & Justiça, 5/7(1-2):32-6, 2000-2002.
LEYTON et al. Uso de anfetamínicos por motoristas profissionais brasileiros: aspectos gerais.
sintomas com a severidade da intoxicação frota de cerca de 32 milhões) envolveram-se em provocada pelo uso de anfetamínicos10,18.
acidentes resultando em 394.596 vítimas, sendo Tabela 2 - Evolução dos sinais e sintomas devido ao
uso de anfetamínicos
Segundo o DNER - Departamento Nacional de Severidade da Sinais e sintomas
Estradas de Rodagem, no ano de 2000, os veículos intoxicação
de passeio envolveram-se em 108.011 acidentes e os caminhões em 50.342. Considerando que os veículos pesados representam apenas 7% da frota nacional, e que esses dados referem-se tão somente às ocorrências em estradas policiadas, estes dados tornam-se preocupantes. Informes da Polícia Rodoviária Estadual de São Paulo revelam que dois em cada 10 acidentes de trânsito envolvem sudorese, elevação da tempera-tura, impulsividade, comporta- Frente a esses números é preocupante que os indiscriminado de substâncias que possam aumentar artificialmente o período de trabalho.
Muitos caminhoneiros justificam o uso de “rebites” como uma necessidade. Segundo eles, a prática ocorre para que possam cumprir os horários de entrega das cargas, uma vez que as empresas impõem prazos muito curtos para tal; além disso, o 1.3 Anfetamínicos e condução veicular
intervalo de tempo entre as viagens é reduzido para compensar o baixo valor do frete (grande número Estudo feito pelo CEL - Centro de Estudos em de motoristas viaja ininterruptamente por 15, 20h Logística da Universidade Federal do Rio de Janeiro aponta uma frota de 1,8 milhão de caminhões em ou mais). Nas transportadoras esses problemas 2001. Desse total, cerca de 900 mil são dirigidos tendem a ser menores, pois os prazos são um pouco por motoristas autônomos. A média de idade dos mais realistas e as viagens têm intervalos maiores.
caminhões é de 18 anos e 72% deles têm mais de 11 anos de uso, a maioria sem manutenção Saúde Pública da Universidade de São Paulo, com adequada. A título de comparação, a idade média 43 motoristas de caminhão que rodam pelas da frota de caminhões nos EUA é de 7,2 anos. A estradas brasileiras, revelou que 83,3% dos combinação de fatores tais como: frota envelhecida consultados admitiram que costumam apelar aos e sem manutenção preventiva (pneus, freios, anfetamínicos para conseguir se manter acordados suspensão), policiamento falho, estradas mal ao volante. Com elas, os motoristas conseguem conservadas e mal sinalizadas, excesso de trabalhar até 60 horas semanais contra as 44h dos velocidade, aliada a motoristas despreparados para que dirigem nas áreas urbanas e não usam enfrentar as dificuldades e imprevistos de extensas estimulantes. A média de comprimidos consumidos jornadas de trabalho a que se obrigam (muitos ficam chega a 50/mês para cada motorista19.
acordados 20 horas) e que ainda fazem uso de outras drogas, resulta em graves acidentes medicamentos mais utilizados são os moderadores de apetite, vendidos ilegalmente em postos de Em 2001, 394.500 veículos automotores (de uma combustíveis ou restaurantes ao longo das estradas.
Saúde, Ética & Justiça, 5/7(1-2):32-6, 2000-2002.
LEYTON et al. Uso de anfetamínicos por motoristas profissionais brasileiros: aspectos gerais.
Dois dos mais populares, Nobese e Lipomax, rapidamente; entretanto, a atenção e concentração chegam ilegalmente pelo Paraguai, abastecendo os postos de venda ao custo de R$ 10,00 a cartela com - quando cessam os efeitos estimulantes, é comum 20 comprimidos. Em média, 3 a 4 comprimidos são o aparecimento de uma fase depressiva, com ingeridos antes da viagem; alguns caminhoneiros fadiga, torpor, inibição mental e uma forte costumam ingerí-los com conhaque, refrigerantes sonolência, alterando a percepção e o tempo de de cola ou café. O efeito de cada comprimido tem a duração de 6 horas, aproximadamente8,20.
- os anfetamínicos agem na pupila produzindo midríase, este efeito é prejudicial aos motoristas, acarretada após o consumo do rebite é de vitalidade, pois à noite ficam mais ofuscados pelos faróis dos como se o indivíduo acordasse de uma longa noite de sono, tornando o motorista disposto a enfrentar - em doses elevadas podem surgir distúrbios como uma longa jornada de trabalho: (.) “seu coração paranóia, reações de pânico e alucinações, fica acelerado, demorando a voltar ao batimento levando o indivíduo a frear sem motivo aparente; normal, logo após sente fome”. A maioria dos - a associação etanol-anfetaminas pode levar a um motoristas que fazem uso de rebites são obesos e aumento da toxicidade cardíaca e exarcebar os tem problemas de hipertensão, por isso, antes de fazerem exames médicos periódicos, tomam Lasix com alguns dias de antecedência para não Recomendações
continuar na profissão. (.) “você fica totalmente ligado, a noite passa num instante; quando se usa Algumas medidas são necessárias para se evitar muito rebite, numa hora está doido, noutra fica o uso e abuso de anfetamínicos pelos motoristas, parecendo uma barata tonta; às vezes não consegue entre as quais: realizar um controle rigoroso da saber se o farol que vem em sentido contrário está venda destes medicamentos, com maior fiscalização na sua pista ou na outra e é nessa hora que ocorrem nos postos de gasolina e restaurantes ao longo das estradas; estabelecer limites aceitáveis para as jornadas de trabalho dos motoristas de caminhão, ocorrência de alucinações: “vi um navio enorme restringindo as horas de viagem por dia; rever os vindo em sentido contrário e tomei um susto; freei a prazos de entrega das cargas pelas empresas carreta e só depois me dei conta de que era apenas transportadoras; adotar medidas para a divulgação um ônibus”; “confundi sinalizadores de concreto que de informações sobre os danos à saúde e os riscos estavam à beira da pista com um rolo compressor; envolvidos na utilização indiscriminada dos achei que a máquina vinha em minha direção e quase causei um acidente ao frear a carreta de É interessante também a implantação de repente”; “vi vários cavalos na pista; para não programas, por parte das empresas de transporte, atropelar os animais “imaginários” joguei o caminhão que objetivem um ambiente de trabalho livre de para fora da estrada e, por ironia, atropelei um cavalo drogas com o monitoramento dos seus funcionários de verdade que pastava ao longo da pista”.
por meio de análises toxicológicas à semelhança Da análise destes depoimentos pode-se esperar de empresas que fazem o controle de álcool nos como resultado previsível acidentes envolvendo A implantação dessas medidas poderia reduzir - o uso de anfetamínicos permite que os motoristas significativamente o número deste tipo de acidentes Saúde, Ética & Justiça, 5/7(1-2):32-6, 2000-2002.
LEYTON et al. Uso de anfetamínicos por motoristas profissionais brasileiros: aspectos gerais.
LEYTON, V.; CARVALHO, D. G. DE; JESUS, M. G. S. DE; MUÑOZ, D.R. Amphetamine use by truck drivers in Brazil: general aspects. Saúde, Ética & Justiça, 5/7(1-2):32-6, 2000-2002.
Abstract: Various epidemiological studies have been performed to show the relationship between the use of amphetamines
and motor vehicle accidents. Truck drivers in Brazil use stimulant drugs, known as “rebites”, to reduce fatigue and enhance their performance to achieve dead lines and schedules agreed with the companies. The aim of the present article is to contribute with information about amphetamines and how these psychoactive substances affect the drivers, mainly the Keywords: Amphetamines/toxicity. Amphetamines/adverse effects. Automobile driving/statistics & numeral data.
Referências
1. Amphetamines. Disponível em: URL: http:// Hardman, J.G.; Limbird, L.E.; Molinoff, P.B.; www.streetdrugs.org/amphetamine.htm. Acesso em: Ruddon, R.W.; Gilman, A.G., eds. Goodman & 24 out. 2003.
Gilman’s the pharmacological basis of therapeutics.
2. Anfetaminas, bolinhas, rebites. Disponível em: URL: 9. ed. New York: McGraw-Hill Professional,1996.
http://www.cebrid.epm.br/folhetos/anfetaminas_.htm.
International Narcotic Control. Psychotropic 3. Couper, F.J.; Pemberton, M.; Jarvis, A.; Hughes, M.; substances: statistics for 1996. United Nations, Logan, B.K. Prevalence of drug use in commercial tractor-trailer drivers. J. Forensic Sci., 47(3):562-7, Kalant, H. The pharmacology and toxicology of “ecstasy” (MDMA) and related drugs. C M A J, 2:165- 4. DEF Interativo 2003/04. Disponível em: URL: http:// www.epuc.com.br/def/. Acesso em: 19 out. 2003.
Kolanowsky, J. A risk-benefit assessment of anti- 5. Departamento Nacional de Estradas de Rodagem.
obesity drugs. Drug Saf., 20(2):119-31, 1999.
Disponível em: URL: http://revistaautoesporte.
16. Logan B.K.; Schwilke, E.W. Drug and alcohol use g l o b o . c o m / A u t o e s p o r t e / 0 , 6 9 9 3 , E A D 3 0 2 8 6 7 - in fatally injured drivers in Washington State. J. 1686,00.html. Acesso em: 15 ago. 2003.
Forensic Sci., 41(3):505-10, 1996.
6. Del Rio, M.C.; Gomez, J.; Sancho, M.; Alvarez, F.J.
17. Musshoff, F. Illegal or legitimate use? Precursor Alcohol, illicit drugs and medicinal drugs in fatally injured drivers in Spain between 1991 and 2000.
methamphetamine. Drug Metabol. Rev., 32(1):15- Forensic Sci. Int., 27:63-70, 2002.
7. Denatran - Anuário Estatístico de Acidentes de Trân- Oga, S. Fundamentos de toxicologia. 2. ed. São www.denatran.gov.br/acidentes.htm. Acesso em: 10 Pesquisa avalia a saúde dos caminhoneiros Dispo- nível em: URL: http://www.usp.br/agenciausp/bols/ 8. Desafio ao tempo e à segurança das estradas.
2000/rede624.htm. Acesso em: 15 set. 2003.
Disponível em: URL: http://www.revistaocarreteiro.
com.br/ano2003/Edicao345/rebites.htm. Acesso em: w w w . m i n u t o d o t r a n s i t o . h p g . i g . c o m . b r / 9. Drummer, O.H.; Gerostamoulos, J.; Batziris, H.; Chu, conteudorebite.htm. Acesso em: 14 set. 2003.
M.; Caplehorn, J.; Robertson, M.D.; Swann, P. The Shih-Ku, L.; Chao-Hui, L.; Chun-Hung, P.; Wei-Hern, incidence of drugs in drivers killed in Australian road H. Comparison of the prevalence of substance use traffic crashes. Forensic Sci. Int., 134(2-3):154-62, and psychiatric disorders between government and self-employed commercial drivers. Psychiatry Clin Ellenhorn, M.J.; Barceloux, D.G. Medical toxicology. New York: Williams & Wilkins, 1997. p.340–52.
Silva, O.A.; Greve, J.M.D.; Yonamine M.; Leyton, Guia-log estatísticas. Disponível em: URL: http:// V. Drug use by truck drives in Brazil. Drugs: www.guiadelogistica.com.br/estatistica-transpo.htm. education, prevention and policy, 10(2):135-39, Acesso em: 15 ago. 2003.
Saúde, Ética & Justiça, 5/7(1-2):32-6, 2000-2002.

Source: http://medicina.fm.usp.br/gdc/docs/iof_27_06_anfeta.pdf

tigresrc.com.ar

24 de agosto de 2011 Lista Prohibida 2012 RESÚMEN de las PRINCIPALES MODIFICACIONES y NOTAS EXPLICATIVAS INTRODUCCIÓN Los miembros de la Comunidad Antidopaje deben saber que se ha prestado una meticulosa consideración a los pertinentes comentarios recibidos en respuesta a la distribución del borrador de la Lista 2012. Se hace salvedad que no todas las sugerenc

Compresor aer

Compresor Aer Compresor Aer Compresor Aer utilizat de catre persoane necunoscute, cu procedurile adecvate sarituri baterii. Iata de ce spun this1. Unele dispozitive de baterii sarituri au o facilitate care va va avertiza daca conectati cabluri jumper-up in mod incorect. Acest JNC660 JumpNCarry nu are astfel de feature.2. Unii au intrerupatoare de siguranta, care elimina puterea de a cabluril

Copyright © 2010-2014 Pdf Physician Treatment